A história do Paintball

A VERDADEIRA HISTÓRIA DO PAINTBALL

Texto elaborado por Kei Mizumoto Kato

Como o próprio título já diz e é auto-explicativo, o seguinte artigo tratará sobre como começou o Paintball, contado por um de seus personagens que vivenciou a história. O texto foi elaborado a partir de um artigo original de Colin Wells, de 2005, que também utilizou também informações colhidas do manual “The Complete guide to paintball” de Paul Kloehn, assim como do livro “The Official Survival Game Manual” e outros sites da web. Colin

Como começou o Paintball

Nos meados dos anos 60 Charles Nelson criou, sem saber ainda, o paintball. Tudo começou com a sua empresa, a “Nelson Paint Company”, fundada em 1940 por Charles e Evan Nelson. Eles patentearam inúmeros aparatos que os guardas florestais usavam para marcar madeira com tinta. Um deles era uma estranha pistola de spray de tinta. Mas o paintball foi “inventado” graças ao Serviço Florestal dos EEUU que encomendou à “Nelson Paint Company” um equipamento marcador de tinta confiável para uso à distância. O problema era que as árvores às vezes estavam depois de um córrego ou de mata densa. A idéia das bolas de tinta era que poderiam ser disparadas pelas obstruções do caminho e também uma bola de tinta disparada de um equipamento marcador de tinta teria um alcance bem maior que o de uma pistola de spray. Fazendeiros poderiam também usar as bolas para marcar gado da mesma forma. Charles Nelson matutou sobre essa idéia e inventou um projétil de tinta que pudesse ser disparado de uma arma de pressão. O projétil foi criado injetando-se tinta dentro de cápsulas de gelatina normalmente usadas como drágeas de um remédio para cavalos.

A empresa de Nelson então fez uma parceria com a Crossman para projetar uma pistola para disparar essas “bolas de tinta”, mas após 4 anos de produção com vendas fracas, a Crossman não achou vantajoso financeiramente continuar com a produção. Nelson procurou então a empresa Daisy, fabricante de “arminhas de chumbinho” para fabricar uma pistola de paintball. Por não ser o proprietário do projeto da Crossman 707, Nelson não podia simplesmente passar o desenho para o outro fabricante e um novo projeto teve de ser pensado. Foi o que a Daisy fez criando a Daisy Splotchmarker, que ficou famosa como a atual notória Nel-Spot 007. As bolinhas de paintball também começaram a ser produzidas em massa. Com contrato com a empresa Nelson, a RP Scherer produziu bolinhas com tintas a base de óleo para os equipamentos marcadores de tinta.

Linha do tempo

Meados para final dos anos 1960 – A Crossman é procurada para produzir o primeiro equipamento marcador de tinta da história pela “Nelson Paint Company”. Utilizando um design já existente de uma “arminha de chumbinho”, a Crossman 150 ou a Crossman 2240. Não havia novas patentes, pois a Crossman patenteou o tubo alimentador superior (que se tornou um dos tipos mais populares de marcadores) em 1921 (patentes duravam 25 anos). O mecanismo de disparo era o mesmo da arma em que foi inspirada. A Crossman parou a produção desse marcador pois não era lucrativo.

Nel-Spot 007

Nel-Spot 007

Crossman 150

Crossman 150

1972 – A “Daisy Manufacturing Company” patenteou e fabricou o segundo marcador de paintball do mundo, o Daisy Splotchmarker, que a Nelson anunciou como a famosa Nel-Spot 007. Esse marcador é importante pois é O MARCADOR que foi usado no primeiro jogo de paintball em junho de 1981. A invenção do marcador de tinta é à vezes erroneamente creditado a James Hale por causa da patente US3788298 de “arma de gás comprimido com gatilho operado por mecanismo de alívio de retém” em 1972 por James C. Hale da empresa “Victor Comptometer Corporation”. A “Daisy Manufacturing Company”, a fabricante de armas de ar comprimido (chumbinho) era de propriedade da Victor Comptometer Corporation, que fabricava máquinas de calcular. Notem que a patente não é para uma ar de gás comprimido que dispara uma bola de tinta. A patente foi preenchida porque a Dasiy Splotchmarker foi projetada do zero para disparar bolas de tinta, não uma modificação de uma arma de chumbinho pré-existente. Por causa dessa nova abordagem de desenhar uma válvula diferente, balancim, martelo diferentes de qualquer arma anterior de chumbinho e da Crossman 707, ela foi então patenteada. Hale conta que seus chefes delegaram o trabalho para ele. Não era um projeto glamoroso, ele relembra, ou então que a Daisy pensasse que fosse fazer muito dinheiro. Afinal, quão grande poderia ser o mercado para marcar árvores caídas pelo chão e vacas perdidas por aí? Ele tentou começando com uma arminha que a Daisy já fabricava, mas como era projetada para chumbinhos, não tinha força para fazer as bolas de tinta quebrarem no impacto. Decidiu então começar do zero. Tentou vários projetos diferentes, mas nada funcionava. Ele não estava com a alma naquilo. A Daisy era apenas um local de trabalho para que ele juntasse dinheiro para começar seu próprio negócio. Hale formou-se em Fayetteville, na Universidade do Arkansas, como engenheiro mecânico. Ele foi para o Colorado e trabalhou para a “Beech Aircraft Corp.” projetando os tanques de hidrogênio a serem usados nas missões espaciais Apollo. Em 1970, ele e sua esposa decidiram voltar para o Arkansas na procura por uma vida mais calma e pacata. Não havia uma fartura de trabalhos em engenharia na área, ele relembra. Apesar da Daisy ser uma empresa divertida de trabalhar, ele merecia algo mais desafiante. Hale produziu as inovações chave no natal de 1971, um mecanismo simplificado para alimentar a câmara e engatilhar a arma e uma série de tubos que forneciam CO2 diretamente para a bolinha quando era disparada. A patente pela “arma de paintball” foi registrada em 19 de junho de 1972 com Hale como inventor. Mas a Daisy possuía os direitos do equipamento já que Hale inventou-o durante o expediente. Hale conta que Nelson entrou em contato com ele nos meados de 1980 e contou-lhe que as pessoas estavam usando as “armas de paintball” esportivamente. Imediatamente a mente de Hale voltou-se para os dias em que ele testava a arma disparando as bolinhas na parede da fábrica da Daisy para ver se elas estouravam. “Eu me lembro da pancada daquelas coisas acertando a parede e ficando com dó das pobres vaquinhas que poderiam ser acertadas com elas. Nós nunca imaginamos que pessoas podiam atirar uma contra as outras com essas armas”. Para James Hale só sobrou a patente emoldurada e pendurada na parede de sua loja de ferramentas. Ele disse que nunca mais mexeu com paintball depois que deixou a Daisy.

Nel-Spot 007

 

Modelo de 1975

Maio de 1976 ou 1977 – Foi nesse mês de 1976 ou 1977 que Hayes Noel e Charles Gaines estavam bebendo gim e conversando quando pensaram que poderia ser divertido começar algum tipo de jogo de abordagem (no sentido policial ou militar) como um desafio para seus amigos. Eles imaginaram se serem capazes de sobreviver na floresta é um produto do ambiente ou instinto puro. George Butler viu uma Nel-Spot num catálogo rural. Bob Guernsey e Hayes Noel escreveram as regras para aquele primeiro jogo.

Maio de 1981 – O Paintball começa em Henniker, New Hampshire. Os principais criadores, Bob Gurnsey, Hayes Noel e Charles Gaines discutiram a idéia de finalmente fazer o jogo deles. A discussão durou anos. O marcador Nel-Spot foi testado num voluntário, Shelby, filho de Charles, que disse que não machucava muito.

27 de junho de 1981 – O primeiro jogo: 12 jogadores competindo uns contra os outros com as Nel-Spot 007s. eles chegaram na casa de Charles no dia anterior. Bob Jones, um romancista e repórter da Sports Illustrated e um caçador experiente; Ronnie Simpkins, fazendeiro do Alabama e caçador-mestre de perus; Jerome Gary, produtor de filmes Nova Iorquino; Carl Sandquist, consultor de New Hampshire; Ritchie White, morador das florestas de New Hampshire que disse que Hayes podeira cortar seu pescoço na floresta; Ken Barret, investidor Nova Iorquino com muita experiência em caça; Joe Drinon, corretor da bolsa de valores de New Hampshire e anteriormente boxeador; Bob Carlson, cirurgião de Alabama e caçador e Lionel Atwill, escritor da Sport Afield, caçador e veterano do Vietnã, que teve a desagradável experiência de liderar missões de reconhecimento no Vietnã, decididamente num ano péssimo por lá. As previsões na noite anterior ao jogo? Que os caçadores iriam sair-se bem e os “garotos da cidade” valiam menos que uma caixa de cervejas. Atwill era o mais respeitado devido à sua experiência nas Forças Especiais. O jogo era o “pegue a bandeira” em uma área no campo de 80 acres. Havia 4 bases de bandeira, cada uma com 12 bandeiras da mesma cor, uma para cada jogador. Às 10 da manhã o jogo com os jogadores dispostos eqüidistantes em torno do campo, e cada base de bandeira tinha um juiz com um apito. A cada 15 minutos os juízes apitavam para ajudar os menos aptos a lerem mapas a localizar-se. Resumindo, o primeiro a morrer foi Barret. Ele se rendeu a Gary. Simpkins atingiu Gurnsey na mão. Carlson acertou cinco pessoas, entre eles Noel quando já tinha três bandeiras e estava a caminho da quarta. Atwill acertou Gaines na perna, mas não estourou e Gaines acertou Atwill. O campeão? Ritchie White. Ninguém nem viu Ritchie em nenhum momento e ele não disparou nenhum tiro. Ele rastejou através da floresta de base a base, pegando as bandeiras assim como uma menina colhe flores no campo. O jogo foi muito menos espetacular comparado com alguns outros jogos, mas havia um espírito nesse primeiro jogo que vai ser difícil de acontecer de novo. O final de semana ferveu de humor, honra, diversão, competição odiosamente amigável, mas intensa. Esses sentimentos refletiram a disposição dos fundadores do jogo. – trecho do livro “The Official Survival Game Manual”, 1983.

Assim eram vendidas as bolinhas

1982 – Charles Gaines usou como marketing do Paintball o tema “National Survival Game – NSG” (Jogo nacional de sobrevivência), criando o panitball na forma geral que temos hoje, abrindo franquias, revendendo marcadores e bolinhas assim como material promocional . Também em abril Caleb Strong abriu o primeiro campo comercial em Rochester, Nova Iorque. A PMI (Pursuit Marketing Inc.) foi fundada para divulgar e distribuir produtos nunca direto ao público consumidor. A PMI criou parcerias com distribuidores e lojas para vender seus produtos. Como primeiro marcador eles fizeram um acordo com a Sheridan e o resultado foi a PM1, uma versão longa com coronha da PGP. Neste ano também internacionalizou-se o Paintball com o primeiro campo NSG no Canadá, o London Ontário do Steve Ingles.

Cartazes promocionais do primeiro campo de Paintball fora dos EUA

1983 – O primeiro campeonato nacional NSG aconteceu em Grantham, New Hampshire numa fazenda no interior chamada Gray Ledges onde também fica o restaurante de mesmo nome. Apesar do título, foi na realidade um campeonato internacional. Dos oito times de 12 jogadores cada, dois eram do Canadá, um de Ontário e outro de Vancouver. Esses oito times sobreviveram aos campeonatos regionais antes de chegar até esse ponto. O jogo de pegar a bandeira numa área florestal de 30 acres foi o campo de vitória do “The Unknown Rebels” (Os Rebeldes Desconhecidos), time do NSG London Ontário, mais o prêmio de US$3.000,00. Em segundo foram os “12-Man Jury” (Júri de doze homens) de Miami, com prêmio de US1.000,00. A revista People (24 de outubro de 1983) anunciou os canadenses como os primeiros campeões mundiais. Nesse ano também a Sheridan lançou a PG (uma PGP com tubo lateral). As pessoas começaram então a adicionar manoplas para ação “pump” nas Nel-Spot para fazer a realimentação mais facilmente, estendendo os tubos de alimentação, fazendo as primeiras modificações em seus marcadores.

 

Nel-Spot Pump

 

Sheridam PG

Junho de 1983 – Lionel Atwill, um dos 12 jogadores originais escreve “The Official Survival Game Manual”, a primeira publicação de Paintball.

1983/1984 – Foi lançada a Constant air – CA, na verdade o que hoje chamamos de cilindro (até então só usavam-se os cilindrinhos de CO2 de 12g). Quase que imediatamente foi proibida para uso em torneios. O argumento foi de que o jogo deveria ter a supremacia da tática e não do equipamento. Os primeiros loaders gravitacionais apareceram no final de 1983 feitos de um cotovelos de 45º colado a um cano de PVC.

Constant air

Constant air

Crossman 3357

Crossman 3357

1984 – O esporte é introduzido na Austrália sob o nome de “Skirmish Games”. Também nesse ano o NSG Splatmaster foi o primeiro marcador produzido em massa especificamente para o paintball. Antes do Splatmaster os marcadores eram todos equipamentos originalmente projetados para outro uso e adaptamos para o uso no esporte, fabricado e anunciado como “The Survival Game”, também conhecido como “National Survival Game” (NSG). Uma concorrente da Splatmaster foi a Mark 4, produzida especificamente para o paintball e com razoável sucesso, mas não era comercializado pela NSG.

Splatmaster

A Splatmaster e a embalagem em que era vendida

Também em 1984 os estensores de cano eram o que estava na moda, tornando os marcadores compactos em tamanhos de rifles, assim como kits de limpeza e cintos também começaram a aparecer no mercado. Caleb Strong da cidade de Buffalo, Nova Iorque, abriu o primeiro campo de Paintball indoor. A Sheridan lança a PGP adicionando uma manopla pump às conhecidas PGs.

 

Sheridan PGP

1985 – O primeiro campo é aberto na Inglaterra. Os campos começam a mudar, tornando-se menores. Os donos de campo avidamente mudaram os campos de 100 acres com duas horas de duração para jogos mais rápidos em campos menores.

Meados de 1980 – Os silenciadores começaram a aparecer feitos artesanalmente com tubos de PVC, mas muito bem trabalhados. As empresas começaram então a construir e vender silenciadores com o novo nicho aberto, mas os caseiros funcionavam tão bem quanto. Aparecia o verdadeiro “sniper” no paintball.

 

Sheridan Pump anos 80 com silenciador

1986 – Dennis Tippmann funda a Tippmann Pneumatics. Originalmente fabricava replica de metralhadoras em escala 1:2. A empresa familiar entrou no mercado do paintball quando as leis sobre armas de fogo forçaram a empresa a reavaliar seu negócio. O primeiro marcador a ser lançado (SMG) foi também o primeiro marcador “full auto” (rajada) a ser vendido. Posteriormente saiu a SMG-60, com seletor para tiro semi-automático. O marcador tinha um pente lateral e usava cilindros de ar, que eram lançamento. Outros marcadores semi-automáticos foram convertidos das pumps, mas esse foi o primeiro. Eram em calibre 0,62. Posteriormente surgiu o 0,689 polegadas, quando a Tippmann lançou a SMG-68.

 

 

Final dos anos 1980 – A Tippmann inventa a válvula de pinos para cilindros de CO2. Eles decidem que, para o interesse do esporte, não devem patentear a idéia, de forma a facilitar que a novidade se tornasse padrão, além de ser bem mais seguro do que as alternativas caseiras que existiam na época.

1987 – Esse ano marcou o advento da “Action Pursuit Games”, uma revista sobre paintball e laser tag. Sai também o primeiro vídeo comercial sobre paintball, o “The Winning Game”. Em janeiro George A. Skogg, da Nelson Paintball, recebeu a patente da primeira bola de paintball solúvel em água (até então as bolas eram preenchidas com tinta a base de óleo, lavável com alcatrão apenas). Nesse ano também apareceram os barrel plugs.

 

Splatmaster rapide, capa da APG de 1988

1998 – É fundada a IPPA (International Paintball Players Association), entidade sem fins lucrativos dedicada à educação, crescimento e segurança no esporte do paintball. Russ Maynard, fundador e editor da APG, levou ao estabelecimento do limite de velocidade das bolinhas de 300 pés por segundo (fps em inglês). Até hoje é o valor padrão usado na ASTM (equivalente ao INMETRO) no paintball. Nesse ano também o Speedball faz sua estréia no Sat Cong Village, um campo de paintball no Sul da Califórnia. Também chamado de “arena ball”, essa revolucionária variação do jogo vira um sucesso instantâneo e é rapidamente jogado em campos de paintball pelo mundo todo. Saem mais lançamentos com a granada de paintball e a Straight Shot lança o Straight Shot Squeegee. Em 2 de maio Raymond Gong, proprietário da “Top Gun Paintball Games’” funda e legaliza o paintball em Nova Jersey. Antes de ganhar a causa na justiça, o paintball era considerado ilegal por lá. A polícia estadual de Nova Jersey tratava equipamentos marcadores de tinta como armas de fogo. Mesmo durante um jogo de paintball, quando um jogador acertava o outro, se a policial pegasse, o atirador seria preso por agressão.

Flyer da Brass Eagle

Flyer da Brass Eagle

1989 – Bud Orr lança a lendária autocker.

1990 – O primeiro torneio a aceitar cilindrinhos de 12 g e cilindros de ar constante (cilindros normalmente usados hoje em dia) acontece em Nashville, torneio chamado “Music City Open”, é também o primeiro a permitir o uso de bolas extras e também o primeiro grande evento sancionado pela IPPA. No dia 21 de julho é aberto o primeiro campo no Brasil, o Wargames Paintball. Em meados desse ano a ATF (Bureau of Alcohol, Tabacco and Firearms – órgão que controla além de outras coisas, armas de fogo) proíbe os silenciadores de paintball pois, apesar de não serem de sua alçada, verificam que eles funcionam também para armas de fogo.

Propaganda na APG de junho/88

Propaganda na APG de junho/88

1991– Tom Kaye (o inventor da Automag) e os funcionários da Air Gun Designs desenvolvem o primeiro sistema de nitrogênio para paintball de cilindro de fibra. Ele não foi comercializado pois foi considerado muito perigoso usar nitrogênio em alta pressão. Hoje em dia deve ser quase impossível ver alguém jogar em torneio com CO2. Como fez a Tippmann anteriormente, Tom recusou-se a patentear o novo sistema de nitrogênio para o bem do esporte, já que achou que era um sistema muito superior ao do CO2. O paintball começa também na França, Dinamarca e outros países da Europa.

15 de abril de 1992 – A Sheridan VM-68 / PMI – 3 é lançada e foi um dos marcadores semi-automáticos mais populares da época. Um protótipo desse marcador foi usado em um torneio de 1990.

 

 

Marcadores PMI-3, um imenso sucesso (eram a febre) na época do lançamento

Novembro de 1992 – A NPPL (National Professional Paintball League) é fundada em Chicago e o campeonato NPPL Pro-Am Series com eventos pelos EEUU começa.

1994 – É lançado o primeiro site de paintball na internet, o Warpig (www.warpig.com).

 

Flyer da Tippmann

1995 – O paintball faz sua estréia na TV a cabo na ESPN com o “1995 World Championship Games” em Orlando, Flórida. No final desse mesmo ano passa em todos os noticiários o vídeotape de quatro idiotas que saíram na rua dando tiros de paintball em todos os transeuntes que viam pela frente. Jogadores de paintball do mundo todo repudiam o caso.

1996 – A Shocker, fabricada pela PneuVentures Inc. e distribuída exclusivamente pela Smart Parts (patent Oct 19, 1999) é o primeiro marcador eletropneumático. A Smart Parts logo se separou da PneuVentures em 1997 produzindo a Shocker e a PneuVentures produzindo a muito avançada Cyber 9000, o primeiro marcador com display LCD e cronógrafo embutidos!

 

PVI

PVI

1997 – A Brass Eagle torna-se grande o suficiente para separar-se da Daisy. A WDP Angel V6 é lançada como um protótipo no torneio “Zap International Amateur Open”.

WDP Angel V6

WDP Angel V6

1998 – Primeiro Loader de ação mecânica é patenteado. As grandes redes como a Wal-mart começam a vender produtos de paintball, tornando a visibilidade do esporte muito maior para o grande público.

1999 – Preocupações com os marcadores e cadência de tiro iniciam um debate culminando com a limitação da cadência de qualquer marcador fabricado a partir do ano 2000.

Janeiro de 1999 – A Brass Eagle compra a Viewloader da CM Support

2001 – O último ano da PGP. Até que durou muito. Depois do atentado ocorrido em 11 de setembro a pressão do uso do termo mais politicamente correto de marcador em vez de arma aumentou muito nos EEUU. O termo arma trazia um significado muito negativo para o esporte e preocupava a todos os que estavam torcendo para que o esporte crescesse cada vez mais. Nesse ano a Smart Parts inventa a válvula on/off no cilindro. A NPPL exige o uso de barrel bag em vez do barrel plug por vários motivos, mas principalmente por segurança. A Game Face Paintball é criada como Joint Venture da Crossman Corporation/Sheridan e a Procaps Inc, fabricante da DraXxus.

 

A heróica PGP 2k1

Março de 2002 – A Brass Eagle compra a JTUSA..

Agosto de 2002 – Richmond Italia “inventa”a NXL (National X Ball League).

2003 – Grandes notícias da Smart Parts com a redução do tamanho do marcador e a redução do consumo de ar. Mas o movimento anti-Smart Parts dos jogadores de paintball começou. A Smart Parts tentou patentear projetos já existentes e ameaçou processar empresas como a PMI, Planet Eclipse, Indian Creek, Dye Precision e outras que fabricavam marcadores com uma válvula eletropneumática para operar o bolt, ao qual a Smart Parts tinha a patente. Muito dinheiro rolou em processos e acordos e a imagem da Smart Parts ficou muito desgastada perante os jogadores. Há muitos artigos sobre esse assunto que ficou conhecido como “invention submission” nos EUA. No final das contas, a “The Federal Trade Commission” (Comissão Federal de Comércio) interveio e encerrou tudo classificando a prática da Smart Parts como “Práticas Enganosas”.

Notem a diferença de tamanho de uma shocker 2002 para uma shocker shocktech 2005

Flatline

Flatline

A Tippmann lança o cano FLATLINE. Ele produz uma rotação inversa na bolinha de forma que através do vórtice criado atrás da bola e do efeito dinâmico do fluido o alcance é aumentado em até 30 metros. Num português mais claro, o que ele faz é semelhante à curva que um chute de efeito faz à uma bola de futebol, só que em vez de ser para o lado, a curva é para cima, compensando a queda causada pela gravidade. Pode parecer coisa de louco e complicado, mas funciona. As revistas de paintball focam mais o speedball apesar de menos de 2% dos jogadores de paintball sejam dessa modalidade. Mas após o 11 de setembro a imagem de guerrilheiros “treinando” no mato tornou-se incômoda para algumas pessoas e foi taxada de politicamente incorreta apenas por uma questão de marketing, pois nessa época que tentava-se popularizar o esporte e a imagem de pessoas guerrilhando em roupas militares foi considerada negativa para o público em geral. Nesse ano também há o grande salto do uso do CO2 para os nitrogênio/ar comprimido, preços abaixando, artigos e publicidade dizendo que CO2 é pior, congela etc. Diziam também que com ar é mais preciso. Mas não é. Era que com CO2 não se usava regulador, só com ar. Se adicionarmos um regulador a um cilindro de CO2, obtém-se a mesma precisão.

Dezembro de 2003 – A K2 Sports Inc., empresa fabricante de esquis e pranchas de snowboard compra a Brass Eagle. K2 agora detém a Brass Eagle, JT e Viewloader. A R.P.Scherer Paintball Manufacturing Division é comprada pela Cardinal Health, Inc.

***

CQB e Chaminé

 Enquanto isso, no Brasil em São Paulo: 

 

Fevereiro de 2009 – É dissolvida a sociedade com a Attack e inauguramos o CTTR Fábrica, onde o paintball cenário de São Paulo ganhou em muito com novas regras de eliminação, mais segurança, mais diversidade nas missões, mais real action para oferecer aos esportistas paulistas.

 

Links para quem se entreteve com o artigo:

http://www.emrpaintball.com/museum.html

http://www.vintagerex.com/

Highslide for Wordpress Plugin